Blog

Meritocracia também para as vacas

Quem trabalha melhor, ganha mais! Conceito de beneficiar o mérito amplamente utilizado em diversos empreendimentos mas que também se aplica a propriedades leiteiras, principalmente quando se trata da utilização eficiente do concentrado, o insumo com maior relevância no custo de produção de leite.

Em relação ao manejo de vacas leiteiras, muitas vezes se observa a utilização da mesma dieta para todo o plantel em produção. Porém, durante a lactação de uma vaca diversas mudanças ocorrem em seu organismo fazendo com que a partir da adoção de estratégias nutricionais comprovadas seja possível a otimização do desempenho, redução dos custos de produção e gerando consequentemente maior lucro ao produtor.

Assim, dividir os animais em lotes a partir de critérios produtivos, reprodutivos entre outros e assim reunir vacas com características similares permite uma utilização mais eficaz do concentrado, sem haver consumo exagerado e nem haver menor disponibilidade de nutrientes em relação ao necessário, podendo-se observar os seguintes pontos no processo de agrupamento:

 

  • Produção de leite;
  • Dias em lactação (DEL);
  • Situação reprodutiva;
  • Escore de condição corporal;
  • Número de crias (primíparas ou multíparas).

 

Também é possível através da divisão de lotes diminuir a competição entre as vacas e até mesmo facilitar o manejo, além de se flexibilizar o planejamento nutricional permitindo ao produtor:

 

  • “desafiar” alguns animais que estejam em situação de produção crescente, sendo assim fornecendo mais nutrientes para que possam elevar o volume de leite;
  • reduzir os gastos com animais já em final de lactação ou com baixa produtividade, equilibrando os custos com concentrados da fazenda.
  • Logo, esses resultados podem refletir diretamente em uma melhor rentabilidade, conforme pode ser observado no exemplo de arraçoamento de uma propriedade leiteira descrito abaixo, em que as vacas recém paridas e com maior produção alocadas no “lote 1”, mesmo estando com alimentação mais cara, por serem mais produtivas e gerarem maior volume de leite acabam também sendo mais lucrativas, demonstrando a importância então de uma correta adequação do fornecimento de concentrado aos animais em produção:

 

 

Portanto, uma divisão de lotes coerente faz com que não haja deficiência nutricional dos animais mais produtivos e nem que se forneça “pérolas aos porcos”, ou seja, que se gaste excessivamente com vacas com menor capacidade de geração de renda, equilibrando os custos de produção da propriedade e elevando a rentabilidade da atividade leiteira.

 

 

       Fonte: Labor Rural