Blog

Instabilidade de preços do café estreita o lucro dos cafeicultores, e melhorar a gestão é a saída

Walter Coelho da Rocha Neto

Consultor Labor Rural

 

O início do ano para a cafeicultura foi marcado pelo leve aumento do preço da saca de café na Bolsa de Nova Iorque e, principalmente, pelo fortalecimento do real frente ao dólar. Os fatos citados fizeram com que o preço de café no mercado físico não sofresse a elevação que os cafeicultores tanto esperam, permanecendo, assim, constante e próximo do valor de fechamento no dia 31 de dezembro de 2018.

 

Ao acompanhar a série histórica do preço da saca de café de 60kg, bebida dura, tipo 6, base CEPEA, podemos analisar a grande volatilidade que o preço médio anual sofreu nos últimos 14 anos. E mesmo alcançando preço médio anual, corrigido pelo IGP-DI de dezembro de 2018, de R$ 753,46 por saca de café em 2011, o gráfico a seguir nos apresenta cenário preocupante, pois a tendência dos preços de 2004 para 2018 foi de diminuir 0,05% ao ano.

 

Acompanhando o cenário da tendência do mercado internacional de café, a última safra que se encerrou foi a pior em preços quando comparada às últimas cinco safras. Com isto, aumentou o risco da atividade cafeeira, desafiando os gestores a tomarem atitudes para minimizar o impacto negativo do mercado, como equilibrar seus custos de produção para manter o lucro.

 

reportagem-cafe

Fonte: CEPEA (café bebida dura, tipo 6 – dados de jan/2004 a dez/2018, corrigidos pelo IGP-DI de dezembro de 2018)

 

O resultado do custo* total médio por saca de café produzido de 165 propriedades em Minas Gerais no biênio 16/18 foi de R$ 418,14 por saca. Relembrando, o custo total é o somatório dos custos diretos para a produção de café mais as depreciações e os custos de oportunidade da mão de obra familiar e de todo o capital investido na atividade. Demonstra, na realidade, que a margem de lucro foi extremamente estreita, uma vez que o custo ficou somente 6% abaixo do preço médio em 2018.

 

Cenários de crise de mercado, como o que vem ocorrendo com a atividade cafeeira, faz surgir a grande necessidade de os produtores melhorarem a gestão de suas propriedades, fator negligenciado em todas as atividades agropecuárias. Calcular o custo de produção permite aos empresários rurais um diagnóstico preciso da situação da empresa, bem como planejá-la para um futuro sustentável economicamente. Esta é a única saída para passar por momentos como o de agora.

 

*Fonte: banco de dados Labor Rural do biênio 16/18, corrigido pelo IGP-DI de dezembro de 2018.