Blog

Culturas de inverno

Rodrigo Iglesias

Estudante de Agronomia

 

O cultivo de forrageiras de inverno pode ser uma boa alternativa para produção de volumosos no período de seca, baixas temperaturas e de pouca luminosidade, que encontramos no período de outono/inverno em nossa região. A produção de forragens de clima tropical é muito limitada devido a sua sazonalidade, ou seja, sua produção é concentrada no período do verão. Além de fornecer alimento de alta qualidade para os animais no período seco, as culturas de inverno possibilitam o aproveitamento de áreas ociosas, otimização do uso da terra e confere proteção e conservação do solo e de sua microbiota contra a ação das causas de degradação e erosão.

A região da Zona da Mata Mineira, na sua maioria, oferece condições de clima e solo para o cultivo dessas forrageiras de inverno quando se faz uso de irrigação ou fertirrigação, pois nesse período de inverno os índices pluviométricos são muito baixos na região.

A utilização das culturas de inverno se torna muito interessante e importante por suceder culturas como o milho safra ou safrinha, sorgo, e até mesmo em sobressemeadura de pastagens de gramíneas tropicais irrigadas, que não respondem bem ao baixo fotoperíodo. Além de conferir cobertura do solo, é alimento de alta qualidade para o rebanho. Algumas das forragens que podem ser utilizadas para estes fins são as gramíneas aveia branca, aveia preta e azevém, sendo comum o consórcio aveia e azevém, as leguminosas ervilhaca, alfafa e o trevo, e o nabo forrageiro da família das Crucíferas, muito utilizada como adubação verde.

O uso dessas forrageiras na dieta do rebanho leiteiro pode ser através do fornecimento de silagem, feno, pré-secado, pastejo ou picado no cocho. É muito interessante a utilização na alimentação das vacas leiteiras, pois são forragens de alto valor nutricional, podendo atingir níveis acima de 25% de proteína bruta na matéria seca, além de possuir uma fibra de alta digestibilidade. Além do grande beneficio nutricional também é importante ressaltar a utilização dessas culturas como fonte de cobertura morta em sistemas de plantio direto, proporcionando a reciclagem de nutrientes, melhorando as condições físicas e químicas do solo. Em sistemas de produção que preconizam o pastejo, possibilitam uma economia na alimentação volumosa e concentrada, permitindo ótimo ganho de peso de novilhas e maior produção de leite.

Portanto, a utilização de forrageiras de inverno na pecuária leiteira tem o objetivo de otimizar a produção, diminuir custos, realizar a conservação do solo e aumento da matéria orgânica e produzir uma alimentação de qualidade e em quantidades adequadas para o rebanho.

 

Fonte: Informativo do Leite – março/2019