Blog

A aplicabilidade da Internet das Coisas (Iot) na Agropecuária

A inovação na agricultura e pecuária se faz constante e necessária em prol da eficiência produtiva. Atualmente trabalhamos com hardwares altamente especializados, equipamentos autônomos e extremamente eficientes com levantamento em tempo real de informação.

 

Hoje o máximo produtivo em diversas fazendas é adquirido graças à agricultura 4.0 que tem por objetivo coletar, integrar e processar informações por intermédio de sensores, internet e software. Algoritmos são utilizados nesse grande número de dados coletados, “big data”, transformando as informações em números que auxiliam na tomada de decisão.

 

As novidades no setor agropecuário são sempre intencionadas a gerar melhorias produtivas e ou gerenciais. A cada momento, o mercado lança inovações com o intuito de catalisar as operações e tornar as etapas de produção fáceis de operar, eficientes e sustentáveis.

 

A “Internet das Coisas” (IoT – Termo em inglês) já se faz presente na agropecuária para potencializar a capacidade produtiva. É fundamental o entendimento dos benefícios no investimento dessa e outas tecnologias, pois o objetivo delas no meio digital é simples: favorecer o produtor, maximizando seus lucros e otimizando operações.

 

A Internet das Coisas é uma extensão da internet atual. Com ela aqueles objetos com capacidade computacional e de comunicação (Hardwares) podem se conectar à internet. Esses hardwares possuem sensores que são responsáveis por capitar diversas informações (realizando então o levantamento de dados).

 

Os dados coletados em si não são suficientes, então recursos avançados, que chamamos de algoritmos existentes em software, são necessários para se obter insights acionáveis com base nos dados coletados. As informações ficam salvas na nuvem e podem ser acessadas através da internet e o produtor então toma decisões baseadas nos dados que são coletados e analisados a todo momento.

 

Na pecuária leiteira por exemplo, temos o que chamamos de Sistema de Localização em Tempo Real (RTLS – Sigla em inglês). Esse sensor tem sido muito utilizado em fazendas na Europa. Com esse sistema o produtor sabe quanto tempo as vacas estão deitadas, por quantas horas dormem ou quanto tempo estão andando. Isso diz muito sobre o bem-estar do animal. Se uma vaca está deitada por muito tempo, talvez esteja doente.

 

O sistema RTLS utiliza os dados coletados e analisados pelos algoritmos para avisar ao produtor por meio de um alerta (recebido pelo smartphone tablet ou desktop) caso detecte um animal possivelmente doente com base na análise de sua movimentação. Esse tipo de sistema, graças aos algoritmos presentes no software, pode antecipar as informações dias antes do evento acontecer, ou seja, diagnosticar com antecedência a doença de um animal significa maior eficiência no tratamento e menor perda de produção.  Além do mais esse tipo de sistema também envia sinais de que o animal pode estar no cio, e a informação exata de onde o animal se encontra, economizando o tempo de procura no galpão para o manejo.

 

Já na agricultura, podemos citar os Sensores de Monitoramento das Condições Climáticas para lavouras. Por meio deles é possível integrar diversos sensores inteligentes no campo para se obter uma estação meteorológica completa. Várias informações como umidade e temperatura do ar e do solo, bem como radiação solar recebida pelas plantas podem ser coletadas pelos sensores e disponibilizadas para o produtor em tempo real. A irrigação pode então ser automaticamente programada considerando essas informações, otimizando o uso da água.

 

O sucesso da agricultura 4.0 então acontece devido uma tríade perfeita:  hardwares que possuem os sensores para captação das informações, a IoT que faz o levantamento dos dados e disponibiliza para o software que por meio de algoritmos processam os dados.

 

Toneladas de informações já são coletados 24/7, e devolvidos para o produtor de maneira inteligente onde através desses dados se tem um melhor controle sobre os processos de manejo da fazenda, possibilitando antecipação na tomada de decisão, menores riscos de produção, melhor planejamento, e consequentemente melhores resultados.

 

 

Nayara Magalhães Gonçalves

Médica veterinária pela UFV, ex-estagiária do PDPL/PCEPL-UFV e

Gerente de Suporte e Desenvolvimento de Mercado na Uniform-Agri, que desenvolve e comercializa software para pecuária leiteira.